O que eu aprendi quando parei para escutar meu corpo

Eu não sou vegetariana. Não faço dieta. Não tomo café da manhã. Como bem no almoço. Prefiro tomar uma sopa no jantar. Café, só um por dia. Tomo coca-cola normal. E como o que eu estou afim de comer, sempre. A minha dieta não é restritiva, eu vivo em equilíbrio. E aprendi ser mais saudável quando parei para escutar o meu corpo.

Eu acredito que o bem estar está relacionado diretamente ao equilíbrio, entre mente e corpo. E escutar o seu corpo na hora de escolher os alimentos você respeita a sua real necessidade, e não vincula seu organismo a hábitos preestabelecidos por dietas malucas ou exageros gastronômicos e seu corpo agradece.

Eu descobri isso quando era bem gordinha e só comia coisas que “não engordavam”. Eu estava morrendo de vontade de comer um chocolate por exemplo, pelo meu corpo um mini pedaço ia me satisfazer, mas como eu não podia, eu comia uma fruta. Não satisfeita dali 30min comia um iogurte, e depois uma barrinha de cereal, e depois uma torrada.

Melhor se eu tivesse comido aquele mini pedaço de chocolate que meu corpo pediu desde o começo!

Se você não mata sua vontade, e quando falo em matar a vontade é comer uma quantidade suficiente para isso e não encher a cara de comida, você equilibra também a sua mente, para ficar menos ansiosa e mais tranqüila.

O que eu estou querendo dizer é que se eu tivesse comido aquele chocolate desde o começo eu não passaria as próximas duas horas ansiosa buscando por algo que me fizesse feliz. Eu já estaria com isso resolvido e estaria fazendo outras coisas que não pensando numa dieta!

Então, quando vou fazer uma refeição penso o que eu estou realmente com vontade de comer. Tem dias que eu quero uma massa com molho de tomates, ou um estrogonofe, ou uma saladinha mesmo. E em outros dias um belo bife com ovo, arroz, feijão e batata frita. Matar a real vontade sobre aquela refeição faz meu corpo estar satisfeito e em equilíbrio. E quanto mais olho para ele melhores escolhas eu faço!

De uns tempos para cá percebi que o açúcar me faz muito mal, me dá muitos gases e enjôo. Aprendi com meu corpo que tenho que evitar o doce ao máximo e nunca consumir de estômago vazio. Por isso, penso duas vezes antes de comer uma sobremesa, preciso estar com muita vontade mesmo, pois as vezes a escolha de não comer faz eu me sentir muito melhor do que o prazer de comer aquilo.

Hoje eu faço muito mais escolhas saudáveis porque escuto o meu corpo e não minha cabeça. Ele pede por uma sopa, por evitar carne aquela semana, um chá gelado e as vezes ele pede hambúrguer, coca-cola, sorvete e uma friturinha. Mas vou comendo quando estou com fome e satisfazendo meu corpo com o que ele quer e quanto ele precisa!

Não tem segredo e não tem regra, cada um tem um metabolismo e um organismo, é só respeitar!

Texto para o Portal Baobbá!